Crise do coronavírus faz JBS dar férias coletivas em cinco frigoríficos

A propagação do novo coronavírus no Brasil e as dificuldades logísticas para exportar carne bovina começaram a afetar os frigoríficos brasileiros.

O Valor apurou que a JBS vai dar férias coletivas em cinco abatedouros de bovinos no país. Ao todo, a companhia tem 37 frigoríficos no país.
A JBS vai paralisar, por 20 dias — entre 19 de março e 9 de abril —, as plantas de Nova Andradina (MS), Alta Floresta (MT) e Juína (MT).

De acordo com uma fonte, a companhia ainda está definindo quais serão as outras duas unidades paralisadas. Procurada pela reportagem, a JBS não comentou.
Ao que tudo indica, a Minerva seguirá um caminho semelhante, mas o número de plantas que serão fechadas temporariamente ainda não está definido, conforme uma fonte. A expectativa é que uma decisão a esse respeito saia até amanhã.

No caso da Marfrig, segunda maior indústria de carne bovina do país, ainda não há uma determinação para paralisar plantas por conta do coronavírus. Mas a companhia vem acompanhando os impactos do coronavírus diariamente e não está descartado que nos próximos dias unidades tenham as operações suspensas.

Um termômetro para a Marfrig deve ser as vendas no food service (alimentação fora do lar). Com as restrições impostas a bares e restaurantes impostas no Rio de Janeiro e a menor movimentação em capitais como São Paulo, o consumo de carnes deve ser afetado.

Paralelamente às repercussões do coronavírus, a Marfrig vai fechar o frigorífico de Tucumã, no Pará. Essa medida faz parte do programa de racionalização que já vinha sendo adotado pela companhia. No fim do ano passado, a Marfrig encerrou as atividades nos abatedouros de Nova Xavantina (MT) e Pirenópolis (GO).

logo_RODAPE